82% dos pacientes de covid-19 têm falta de vitamina D, diz estudo

Um estudo recente demonstrou que a maioria dos pacientes de COVID-19, mais especificamente, 82% deles, apresentou falta de vitamina D. Afinal, qual a relação entre as duas coisas?

A vitamina D está muito relacionada à imunidade e, por isso, sua deficiência pode implicar no enfraquecimento da proteção do sistema imunológico.

Por isso, na analise realizada por cientistas da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, mais de 400 pacientes tiveram seu nível de vitamina D analisado. Todos os participantes tiveram seu nível de vitamina D medido no ano anterior ao diagnóstico de COVID-19 em um hospital na Espanha.

Como conclusão, os especialistas notaram que pessoas com menor nível de vitamina D possuíam quase o dobro do risco de serem contaminadas pelo novo coronavírus. Não só, pessoas com nível mais baixo de vitamina D também continham marcadores inflamatórios mais elevados, como a ferritina e o dímero-D.

Leia mais: Vitamina D reduz o risco de contrair o novo coronavírus?

A ferritina é uma proteína globular que se localiza essencialmente no fígado e é a mais importante proteína armazenadora de ferro. No entanto, é possível que ela esteja elevada mesmo em casos de anemia (deficiência de ferro no organismo). Portanto, quando a ferritina está baixa, provavelmente não há excesso de depósito de ferro no organismo, porém, quando está alta, não quer necessariamente dizer que a pessoa tem problemas com excesso de ferro. Ou seja, a ferritina é uma alteração inicial em um quadro de anemia.

Já o dímero-D, é um dos produtos da degradação da fibrina, responsável pelo processo de coagulação no corpo e é um indicativo de casos de trombose. Não só, o exame de dímero-D tem sido utilizado em pacientes com a COVID-19 como um marcador de gravidade.

Basicamente, o dímetro-D é um marcador que tende a se elevar durante a fase inicial da doença e, por isso, facilita o diagnóstico, pois outros marcadores biológicos levam mais tempo para se alterar em razão da COVID-19 e, então, a doença levaria mais tempo para ser diagnosticada.

Alimentos ricos em vitamina D para incluir na alimentação

  • Ovo
  • Leite e derivados
  • Salmão e outros peixes
  • Frutos do mar
  • Carne vermelha
  • Cogumelos
  • Óleo de fígado de bacalhau

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − 11 =